Aberto o prazo para entrega da Declaração Anual de Capitais Brasileiros no Exterior (CBE)


Autor: De Vivo Castro / Data: 19 de fevereiro de 2024
Pessoas físicas e jurídicas, residentes, domiciliadas ou com sede no Brasil que, até 31 de dezembro de 2023, apresentassem valores, bens, direitos e ativos de qualquer natureza no exterior, com montante igual ou superior a um milhão de dólares, devem entregar a Declaração Anual de Capitais Brasileiros no Exterior (CBE Anual) ao Banco Central do Brasil até o dia 05 de abril de 2024, às 18h (horário de Brasília).

Confira, no material abaixo, mais informações referentes aos outros valores de ativos, datas para as entregas e multas em casos de não apresentação da CBE e outras declarações.

A equipe tributária do De Vivo, Castro, Cunha e Whitaker Advogados está à disposição para auxiliar no preenchimento da declaração e sanar quaisquer dúvidas relacionadas ao assunto.

_De Vivo Castro - Prazo para entrega declaração CBE

Relacionados

  • De Vivo, Castro, Cunha e Whitaker Advogados é reconhecido por sua atuação em Civil & Commercial Litigation pela Leaders League

    8 de abril de 2024

    Autor: De Vivo Castro

    Orgulhosamente, anunciamos que o De Vivo, Castro, Cunha e Whitaker Advogados é reconhecido por sua atuação em Civil & Commercial Litigation pela Leaders League, uma das mais importantes publicações internacionais de rankings jurídicos. Nossos ...

    Ler artigo
  • Atenção ao prazo para as empresas privadas se cadastrarem no domicílio judicial eletrônico

    5 de abril de 2024

    Autor: De Vivo Castro

    Com a nova Lei nº 14.195/2021, as citações de comunicações processuais serão preferencialmente realizadas de forma eletrônica, conectando todos os Tribunais brasileiros e simplificando o acesso à Justiça. Após o prazo para as empresas privadas se ...

    Ler artigo
  • A (im)possibilidade de creditamento de PIS e COFINS sobre gastos com adequação à LGPD

    1 de abril de 2024

    Autor: De Vivo Castro

    A Receita Federal (RFB), por meio da solução de consulta n.º 307/2023, se posicionou no sentido de que os gastos com a jornada de adequação das empresas não seria passível de creditamento, pois, tais gastos não se relacionam com a atividade-fim da empresa.

    Ler artigo